Gilberto marca de pênalti, Anderson brilha e Bahia é bicampeão baiano

Como diz a torcida: “Abre passagem, o terror chegou. O Gilberto é matador”. E realmente, o camisa 9 é decisivo. Graças ao gol de pênalti do artilheiro, e brilho do goleiro Anderson, o Bahia se consagrou bicampeão baiano na tarde deste domingo, na Arena Fonte Nova. O Esquadrão de Aço derrotou o Bahia de Feira por 1 a 0, e chegou ao 48º título estadual de sua história. Como no jogo de ida, houve empate em 1 a 1, o Tricolor ergueu a taça da competição.

Anderson, também foi fundamental. O arqueiro, que por vezes foi tão questionado pelo torcedor, teve um dia de estrela na Fonte Nova. Isso porque quando o placar apontava 1 a 0 a favor do Tricolor, o goleiro defendeu um pênalti cobrado por Vitinho, e foi fundamental para a conquista.

Durante os 90 minutos, o time comandado por Roger Machado foi bem superior ao seu adversário. No entanto, cansou de perder oportunidades, deixando a equipe de Feira de Santana viva o tempo todo do confronto. Outro destaque da partida foi o VAR. Graças ao auxílio da tecnologia, Luiz Flavio de Oliveira assinalou dois pênaltis, um para cada time.

Pressionando desde os primeiros minutos de partida, o Bahia quase abriu o placar aos oito minutos. Artur Caíke cobrou falta direto para o gol e acertou o travessão do goleiro Jair. Sofrendo com a intensidade do adversário, o Bahia de Feira pouco aparecia no campo de ataque.

Dez minutos depois, em boa jogada, Artur Caíke recebeu lançamento preciso de Lucas Fonseca. O atacante levantou a cabeça e cruzou para a grande área. Nino Paraíba chegou batendo, mas mandou por cima da meta.

Em outra boa jogada do Esquadrão, Elton avançou pelo lado direito, Gilberto dividiu com Paulo Paraíba, e a bola sobrou limpa  para Artur Caíke, mas o jogador finalizou mal a jogada. Apesar disso, nos primeiros 20 minutos, o Tricolor era muito superior.

Na sequência, Moisés pegou sobra após cobrança de escanteio e levantou na área. Livre de marcação, Elton pegou livre dentro da área. Contudo, pecou na finalização. Até que finalmente, o time de Feira de Santa chegou. Deon deu belo tapa de calcanhar para Jarbas, que cruzou buscando Alex Cazumba. O lateral chegou bem, bateu forte, mas foi bloqueado.

Aos poucos, o Tremendão foi segurando a pressão do rival, e assustou mais uma vez. Jarbas mandou um chutaço de fora da área, mas Anderson espalmou para escanteio. Na sequência, Nino Paraíba entortou Paulo Paraíba e cruzou rasteiro para Gilberto. Completamente livre de marcação, o camisa 9 desperdiçou uma chance claríssima. Dessa forma, o primeiro tempo terminou com o empate sem gols.

Na volta para o segundo tempo, o Bahia seguiu perdendo chances. Logo no primeiro minuto, Moisés cobrou lateral na área, Ernando desviou para o meio, Alex Cazumba não conseguiu afastar e Gilberto ajeitou para Artur Caíke. Na pequena área, o atacante furou e não conseguiu acertar em cheio o gol.

Até que finalmente, o Esquadrão abriu o placar. Ramires armou o chute e foi travado por Vitor Hugo dentro da área. Depois de quatro minutos e consula ao VAR, Luiz Flávio de Oliveira assinalou o pênalti. Na cobrança, Gilberto mostrou frieza, batendo no campo direito, deslocando Jair e explodindo a Fonte Nova.

O Bahia de Feira, tinha poucas alternativas e não conseguia jogar. Tanto que o único lance perigoso em 20 minutos do segundo tempo veio pela bola parada. Vitinho cobrou falta colocada e tirou tinta da trave direita de Anderson. Antes teve um desvio no braço de Gilberto. Após outra consulta ao VAR, o árbitro deu o pênalti a favor dos visitantes.

Na cobrança, Vitinho bateu no canto direito, mas Anderson defendeu. No rebote, Vitor Hugo parou de novo no goleiro do Esquadrão. No contra-golpe, o Bahia por pouco não marcou o segundo gol. O time de Roger Machado seguia melhor e cansava de perder oportunidades.

Mesmo assim, o Tremendão não estava morto. Aos 32 minutos, em bola parada, Alex Cazumba acertou o travessão. Mais uma vez, o Esquadrão perdeu outra chance clara. Rogério recebeu dentro da área, cortou dois defensores, mas na hora de ganhar um 10 na finalização, bateu mal com a perna esquerda.

Aos 44 minutos, o Bahia de Feira quase empatou. Ebinho ganhou na velocidade de Ernando, que bateu na saída de Anderson, mas por cima do gol. Foi a última oportunidade do confronto, e assim, o Bahia se sagrou bicampeão baiano e explosão da torcida na Fonte Nova.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 1 X 0 BAHIA DE FEIRA

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (Bahia)
Data: 21 de abril de 2019, domingo
Horário: 16h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Paulo de Tarso Bregalda Gussen e José Carlos Oliveira dos Santos, ambos de São Paulo
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)
Público: 41.413 pagantes
Renda: R$ 1.052.633,00
Cartões amarelos: Edimar, Edvan e Bruninho (Bahia de Feira); Artur Caíke, Douglas, Xandão, Artur e Gregore (Bahia).
Cartões vermelhos: –
Gols: Gilberto aos oito minutos do segundo tempo

BAHIA: Anderson; Nino Paraíba, Lucas Fonseca (Xandão), Ernando e Moisés; Elton, Douglas e Ramires (Gregore); Artur, Arthur Caíke (Rogério) e Gilberto.

Técnico: Roger Machado

BAHIA DE FEIRA: Jair; Edvan, Vitor Hugo, Paulo Paraíba e Alex Cazumba; Edimar (Ebinho), Jarbas (Menezes), Capone, Bruninho, Vitinho (Dionísio) e Deon.
Técnico: Barbosinha

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe seu Comentário