Escola Cultural de Alagoinhas inicia ano letivo com atividades de integração com as comunidades

A primeira semana de aula na rede estadual de ensino está sendo marcada por várias atividades promovidas pelo projeto Escolas Culturais, realizado em 85 unidades escolares. Criado pela Secretaria da Educação do Estado com o objetivo de incentivar o uso da unidade escolar como equipamento cultural e de interação social nas comunidades, o projeto promove ações como palestras, debates, rodas de conversa, exibição de filmes, rodas de capoeira e apresentações de música, teatro, dança e cordel, que também são direcionadas ao público externo.

Nesta quarta-feira (13), no Colégio Estadual Brasilino Veiga, em Alagoinhas (114 km de Salvador), os estudantes assistiram a exibições de dois curtas, dentro do Circuito Luiz Orlando de Exibição Audiovisual, uma iniciativa da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SECULT) em parceria com o Escolas Culturais, com o objetivo de difundir a produção baiana no segmento, ampliar o acesso e estimular reflexões e diálogos em torno de temas relevantes, a partir da perspectiva audiovisual. O primeiro filme apresentado foi “Astrogildo e a astronave”, dirigido por Edson Bastos, e “Depois que te vi”, de Vinícius Saramago.

O estudante Joeldes Batista Santos, 18, 3º ano, falou da sua alegria de chegar na primeira semana de aula e se deparar com atividades culturais. “Ter na minha escola, nos primeiros dias de aula, um projeto de cinema, promovido pelo Escolas Culturais, está sendo uma experiência maravilhosa. Com o cinema, a gente cresce como ser humano porque esta arte nos traz muitos conhecimentos. Os filmes exibidos botaram nossa mente para refletir sobre temas como Direitos Humanos; nossas obrigações de cidadãos; e nossos sonhos, que para virarem realidade temos que correr atrás com perseverança”. A colega Stefani de Oliveira, 17, 3º ano, completou: “É importante atividades como estas, que fazem temas relevantes chegarem na nossa escola. A cultura é um vetor importante de Educação, já que a arte expressa o que a pessoa sente e como quer interagir com as outras”, afirmou.

A importância do evento também foi destacada pelo professor de Arte, Luiz Fernando Barbosa. “Com o Escolas Culturais, aprendi algo precioso, de que as pequenas ações podem ter uma grande dimensão se conseguirmos focar no interesse do nosso estudante. Considero esse projeto um dos mais grandiosos que já tivemos porque ele busca alcançar o aluno e me sinto feliz em poder contribuir. A atividade de hoje, por exemplo, por meio do audiovisual engajado, plantamos sementes e instigamos o público à reflexão sobre temas sociais com os quais se identifica”.

Fonte: Secom

Deixe seu Comentário