Bahia tem maior taxa de desemprego no 2º trimestre, aponta IBGE

A taxa de desemprego na Bahia é a maior dentre os 10 estados e DF que tiveram redução na desocupação segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar do desemprego recuar neste segundo trimestre, de 12,7% para 12%, a Bahia superou, e ficou com 17,3% na taxa de desemprego.

O desemprego caiu em 10 das 27 unidades da federação no 2º trimestre, na comparação com o trimestre anterior, permanecendo estável nas demais.Mas apesar da recuo da taxa em 12%, o desemprego ainda atinge 12,8 milhões de brasileiros.

A pesquisa realizada pela PNAD Contínua também registrou que o número de desalentados no segundo trimestre do ano foi de 4,9 milhões de pessoas de 14 anos ou mais. Os maiores contingentes estavam na Bahia (766 mil pessoas) e no Maranhão (588 mil).

Segundo o IBGE, as maiores taxas de desemprego foram observadas na Bahia (17,3%), Amapá (16,9%) e Pernambuco (16,0%) e a menores, em Santa Catarina (6,0%), Rondônia (6,7%) e Rio Grande do Sul (8,2%). Em São Paulo e no Rio de Janeiro, as taxas ficaram em 12,8% e 15,1%, respectivamente.

Veja a taxa de desemprego por unidade da federação:

  • Santa Catarina: 6%
  • Rondônia: 6,7%
  • Rio Grande do Sul:8,2%
  • Mato Grosso do Sul: 8,3%
  • Mato Grosso: 8,3%
  • Paraná: 9,0%
  • Minas Gerais: 9,6%
  • Goiás: 10,5%
  • Ceará: 10,9%
  • Espírito Santo: 10,9%
  • Pará: 11,2%
  • Tocantins: 11,4%
  • Paraíba: 11,9%
  • Brasil: 12%
  • Rio Grande do Norte: 12,5%
  • Piauí: 12,8%
  • São Paulo: 12,8%
  • Acre: 13,6%
  • Distrito Federal: 13,7%
  • Amazonas: 13,9%
  • Maranhão: 14,6%
  • Alagoas: 14,6%
  • Roraima: 14,9%
  • Rio de Janeiro: 15,1%
  • Sergipe: 15,3%
  • Pernambuco: 16%
  • Amapá: 16,9%
  • Bahia: 17,3%

Deixe seu Comentário